Quarta-feira, 30 de Novembro de 2011

Da série: Eu me bronho

O vídeo com o vocalista do Limp Bizkit transando com a namorada vazou faz um tempão, mas eu só consegui achar o dito cujo agora. A curiosidade por ver celebridades em momentos íntimos é algo do qual não me envergonho, afinal de contas elas estão aí mesmo é pra nos divertir de todas as maneiras. 

 

Fred Durst não tem nada do que se envergonhar. Além de ser bem bonitão, o moço revelou dotes admiráveis e só reforçou sua masculinidade ao lado de uma mulher bonita e aparentemente dedicada aos trabalhos vigentes. 

 

 

A ira toda do rockeiro (que processou meio mundo) pode ser vindo de fontes até bem psicanalíticas. 

 

A namorada está sempre numa posição submissa à ele e isso talvez revele algumas coisas sobre a maneira como o moço vê o sexo oposto. No entanto, o grande motivo de fúria deve ser o trecho em que a moça vem com as mãos para as partes baixas dele e ele sussurra:

 

Yes, touch my balls... my Ass.

 

O mito do fio-terra, amplamente incutido no imaginário masculino mas nem por isso menos polemizado, acabou se tornando o maior pesadelo de Fred. Bobagem que os heterossexuais não entendem como deveria. O vídeo está cheio da virilidade do cantor, mas mesmo assim, ele fica incomodado com um segundo em que essa virilidade é ameaçada por um tabu.

 

Fredão, eu curti.

 

Quem quiser conferir o vídeo, e tiver mais de 18 anos, passa por aqui

Dobrado Por Henrique Haddefinir às 16:08
Link | Dobre (comente) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Novembro de 2011

30 Baladas Que Nunca Serão Enjoativas - Parte 1

Como todo blog que se preze tem que ter a sua cota de listinhas, o As Dobras não poderia ficar deixar de continuar presenteando seus 5 leitores fiéis com mais uma delas. E hoje eu resolvi pensar nas 30 baladas mais fodas e menos enjoativas do mundo. A missão é árdua e inclui tanto bandas clássicas quanto alternativas. O foco está entre os anos 90 e 2000. Aqui teremos a primeira parte dessa coletânea e aproveitamos para lançar um desafio: Quais são realmentes as 30 canções mais incríveis dos anos 80 pra cá?

 

 

"One" - U2

Começando por uma das mais clássicas de todos os tempos.
Lançada no álbum Achtung Baby em 1992, já foi regravada por muitos artistas e é um verdadeiro diamante da banda. Você tem a sensação que vai se cansar dela logo, mas a cretina é como aquele filme bobo mas grudento da "Sessão da Tarde", que se você passa na frente da TV e ele está sendo exibido, acaba sentando e vendo até o final. 

 


Tags: ,
Dobrado Por Henrique Haddefinir às 17:49
Link | Dobre (comente) | Ver dobras (1) | favorito
|

Glee

Glee semana, só uma coisa a dizer: FODA!!!!
Tags:
Dobrado Por Henrique Haddefinir às 17:32
Link | Dobre (comente) | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Novembro de 2011

Shake it Out

Descobrindo Florence + The Machine. Essa canção é incrível!! Épica!

 

Tags:
Dobrado Por Henrique Haddefinir às 18:01
Link | Dobre (comente) | favorito
|

Da série: Eu me bronho

Êêêê... Britneida tá no Brasil. Eu gosto muito da moça, mas o show só seria bafho pra mim se eu tivesse grana pra pista premiun, o que não tenho, claro. Com isso, o que melhor tenho a dizer sobre a família Spears até agora é:

 

 

Papai Spears: I would.

Dobrado Por Henrique Haddefinir às 17:54
Link | Dobre (comente) | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Novembro de 2011

Glee – 3X05: The First Time

Rendam-se todos os detratores, Glee essa semana foi diversão, poesia e inteligência pura.

 

 

 Atenção: SPOILERS

 

Não é que eu não entenda todos os problemas que a série apresenta. Eu entendo. Sei daquilo tudo. Da dificuldade de estabelecer um nível de qualidade que não oscile tão frequentemente, da dificuldade de evitar os exageros e trair o que pretendem os personagens, da instabilidade da qualidade musical, do texto às vezes tolo, enfim... Eu conheço e reconheço todos os problemas de Glee. Mas a questão é: as qualidades ainda me deixam de sorriso aberto do início ao fim de alguns episódios.

 

E essa semana eu fiquei extasiado. Absolutamente tudo funcionou no episódio. O foco em Rachel e Blaine era um perigo iminente, já até apontado por Santana na semana passada, mas nessa trama não havia como fugir deles. Rachel é a protagonista e teremos que aceitar para sempre seu papel dentro do programa. Mesmo que ela nos aborreça e seja redundante. Ela é a estrela. Já Blaine, que muito corretamente tem uma personalidade menos lúdica que Kurt, absorveu a função de avaliar e analisar os  plots da semana com mais seriedade.

 

A função de Rachel na história toda sobre a virgindade era a mesma de sempre: ser Rachel para então sofrer o rebate dessa condição. E é exatamente por isso que funciona tão bem. Ela tem suas atitudes absurdas, mantém a natureza da personagem, e determina o politicamente dentro do incorreto politicamente. O que ela precisaria dizer a audiência sobre o tema, e dentro de seu papel de protagonista, acabou sendo dito por Tina e  fez muito mais sentido sendo assim.

 

Entre Kurt e Blaine o roteiro não poderia ter tomado melhores decisões. A dinâmica com Sebastian¸ do lado de Blaine, e de Karofsky, pelo lado de Kurt. As duas mostrando, com muita sutileza, coisas importantes sobre ambos. E eu mal posso conter minha empolgação quando falo de Karofsky. É quando ele aparece que Kurt é mais crível. E para o mundo gay esse personagem representa tanta coisa... Acho e sempre acharei lamentável a implicância de alguns fãs com as histórias sobre superação gay na temporada passada. São mais de 50 séries no ar, quase todas elas falando dos mesmos encontros e desencontros heterossexuais, e quando aparece uma que dedica aí 30% de sua temporada aos temas homoafetivos, é acusada de excesso. Excesso!! Se Glee ficasse 20 episódios focando em Kurt, ainda não seria nem metade do que deveria.

 

E Karofsky é vivido com cada vez mais carinho por Max Adler. O ator entende, apoia, é solidário ao personagem e isso fica perceptível na atuação dele. Sua única cena em todo o episódio, também foi a melhor de todas. Correta, tênue, cheia de tensão emocional.  Chris Colfer já deu declarações de que adoraria que Karofsky e Kurt tivessem uma chance. Nada me faria mais feliz, embora não haja absolutamente nenhum sinal de que o Bear Cub (referência linda ao universo gay de adoração aos gordinhos) voltará a fazer parte da rotina de Kurt.

 

Técnicamente, o episódio também foi muito feliz. As cenas intercaladas com o musical ajudaram a não cansar daquela linguagem de Broadway. Foi extremamente sensível e delicada a sequência final com os casais, e o número inteiro focado em Santana foi um desbunde.

 

O que muito poucos entendem é que Glee não é para os cínicos. E os cínicos demoram demais ou mesmo nunca conseguem, ligar-se a uma série pelo que ela constrói pautada no carisma. Alguns mundos, alguns elencos, alguns universos, se sobressaem tão inerentes aos números e regras, que sobrevivem acima de qualquer coisa. Foi assim com Dawson’s Creek, Friends, The OC... Os enganos estão lá, os erros, aquelas decisões que odiamos e todas as ameaças de abandono. Mas aqueles personagens existem tão completamente – a ponto de virarem um símbolo de cultura – que estar com eles se torna uma experiência de conforto, muito mais que de avaliação.

 

E eu quando estou com Glee, estou naquele mundo. Faço cara feia para os tropeços, mas sigo incapaz de abrir mão de um pedaço infantil, lúdico e totalmente necessário, da minha rotina.

Tags: ,
Dobrado Por Henrique Haddefinir às 16:20
Link | Dobre (comente) | favorito
|
Domingo, 6 de Novembro de 2011

Comentário em Série

Como agora estou escrevendo para o site SérieManíacos, estou tendo que manter-me em condições de falar sobre ao menos algumas das estréias dessa nova temporada. Escolhi algumas e vou falar um pouquinho sobre elas pra vocês.

 Hart of Dixie

 

Dobrado Por Henrique Haddefinir às 20:31
Link | Dobre (comente) | favorito
|

O que essa mulher tem na cabeça?

 

Ah sim... Bosta de vaca.

Dobrado Por Henrique Haddefinir às 20:22
Link | Dobre (comente) | favorito
|

Tudo é Possível

Reese Witherspon: o símbolo da esperança para uma parcela grande da classe feminina que sonha com a fama. Qual classe?

 

 

As feias.

Dobrado Por Henrique Haddefinir às 20:19
Link | Dobre (comente) | favorito
|

American Horror Story

Ryan Murphy ficou muitos anos a frente de uma série médica chamada Nip/Tuck, mas só conheceu mesmo o estrelato mundial quando criou uma comédia musical chamada Glee, que devastou o mundo pop com sua força carismática e embora oscile sempre entre o prestígio e a chacota, está em evidência até hoje. 

 

Glee é uma das minhas maiores paixões no momento, exatamente porque dentro de todo aquele universo adolescente, reside a maldade de Ryan, que sempre foi adepto de caminhos bizarros pra seus projetos. 

 

Sua nova investida é a audaciosa e intrigante American Horror Story. Como o próprio título sugere, trata-se de uma série de terror, que trás e brinca com muita competência, com todos os clichês do gênero. Seu diferencial está no texto coerente, na completa insanidade das histórias e num elenco espetacular encabeçado por Connie Britton, Jessica Lange, Frances Conroy e Dylan McDermott

 

O piloto é um pouco confuso, mas a série cresce tanto a partir do segundo episódio que chega a impressionar. O episódio de Halloween, dividido em duas partes foi um desbunde de criatividade. A série é tão louca que te deixa hipnotizado em frente a TV. 

 

Com o histórico de enganos de Murphy pode ser que tenhamos problemas adiante, mas até agora o saldo é muito positivo. E ainda temos James Wong, roteirista consagrado de Arquivo X, dando o ar da graça.

 

Dobrado Por Henrique Haddefinir às 20:06
Link | Dobre (comente) | favorito
|

Tudo Sobre Ele

Pesquisar Dobras

 

Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Ontem

Voltamos já...

Fundo Sem Garantia

Um "Eu Amo GLEE" enorme n...

Glee, sua linda.

A Cabecinha do Hond#$%@##...

Sala de Projeção: Marilyn...

Titanic 3D

Agora sim...

Tô quase me rendendo...

Thammy Ae!

Vida Real Pra Quê?

Lua de Sinteco

Sala de Projeção

BBB12 - Selva Dentro e Fo...

M-A-D-O-N-N-A Pra Quem En...

Páginas Viradas

Setembro 2012

Agosto 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Tags

todas as tags

Links

Autógrafos

Assine meu Livro
blogs SAPO

subscrever feeds